Dicas de Leitura

Literatura Infantil

 

 

Dona Baratinha – Ana Maria Machado

Sinopse: Dona Baratinha achou uma moeda e pensou que, estando rica, poderia se casar. Então, se arrumou e foi para a janela procurar um noivo. Muitos candidatos apareceram: o boi, o gato, o cachorro, mas o ratinho foi o escolhido. A noiva chegou na igreja, mas o ratinho não apareceu. Ela acabou desistindo do casamento. O noivo? De tão guloso, tinha caído na panela de feijão. Dona Baratinha resolveu pegar o dinheiro e se divertir.

 

 

Palavras, palavrinhas e palavrões – Ana Maria Machado

Sinopse: Uma menina gostava de colecionar palavras. Quando escutava uma, logo repetia, mesmo sendo um palavrão. A família criticava, mas a menina não entendia porque certas palavras eram proibidas e outras não. Será que era o tamanho das palavras que determinava a proibição? Brincando com as palavras e costumes, o livro aborda com humor essa questão. E ainda fala das dores e ciúmes que a gente tem quando chega um irmãozinho.

 

 

Menina bonita do laço de fita – Ana Maria Machado

Sinopse: Conta a história de um coelhinho bem branquinho que faz de tudo para ficar pretinho como aquela menina do laço de fita que ele acha linda. Mas ele não sabe como a menina herdou aquela cor.

 

 


Pimenta no cocuruto – Ana Maria Machado

Sinopse: A partir de uma acidente banal pode-se chegar ao pânico. Para se ter uma confusão de fim de mundo, bastam apenas um disse-que-disse, muitos animais desnorteados e um homem inconseqüente. Quando uma pimenta cai no cocuruto de uma galinha que ali ciscava, tem início a maior confusão. Alarmada, a ave anuncia que o mundo vai se acabar e que seu cocuruto lhe dizia tal adivinhação. E um bicho foi passando a informação para outro até que todos saíram em disparada, desesperados, por causa do fim do mundo. O homem acreditou nessa história também e caiu quebrando a perna. Restou saber de quem foi a culpa. Uns acusavam a galinha, outros a andorinha. Mas a culpa é do homem, pois quem apavorado some bem depressa se consome.

 

 

Literatura Infanto-Juvenil

 

 

Os Miseráveis – Victor Hugo

Sinopse:  Um dos romances mais amados de Victor Hugo, é como o "Notre Dame" de Paris, não só um clássico do mundo literário, mas também deu origem ao mais bem sucedido musical de todos os tempos. Com uma surpreendente combinação de ação, compaixão, sofrimento, fúria, perdão e amor, esta poderosa série televisiva relata a saga de um homem que lutou contra o sistema judicial da sua época, que condenava todos aqueles que tiveram a infelicidade de nascer pobres.Jean Valjean, depois de ter passado quase vinte anos na cadeia por roubar pão, emerge da sua condição de prisioneiro com fome de viver e disposto a levar uma vida honesta. Contudo o Inspetor Javert está convencido que um criminoso será sempre um criminoso, e que Valjean pertence a cadeia... Para sempre.

 

 

Três Amizades – Vários autores

Sinopse: Na Inglaterra do século XVI, a enorme distância social entre nobres e plebeus não impede o encontro de dois meninos muito diferentes - Eduardo Tudor, Príncipe de Gales, filho do rei Henrique VIII, e Tom Canty, nascido em um bairro miserável de Londres, filho de um vagabundo. Novamente em Londres, mas no século XIX, encontramos o famoso detetive Sherlock Holmes e seu inseparável companheiro Watson às voltas com um novo crime a ser desvendado por meio de uma farsa armada com lógica e perspicácia. No século XXI, em uma metrópole brasileira, acompanhamos os desdobramentos do encontro do garoto Miguel com Isaías, um homem misterioso e estranho que se oferece para encontrar seu cão desaparecido. Eis os enredos de 'Três Amizades', o sexto volume da coleção Três por Três. A obra é composta pela adaptação dos clássicos 'O príncipe e o mendigo', de Mark Twain, e 'O detetive agonizante', de Conan Doyle, além do 'As duas mortes de Isaías', de Marcia Kupstas, que também é a adaptadora dos dois clássicos.

 

 

 

Ei! Tem alguém aí? – Jostein Gaarder

Sinopse:  Um menino de apenas 8 anos, Joakim, vai ganhar um irmão. Enquanto seus pais vão a maternidade ele encontra um etzinho muito simpático chamado MIKA. Ele é completamente diferente dele e ao mesmo tempo muito parecidos. A história se passa em 24hs, tempo que os ficaram juntos e os mais variados assuntos são discutidos por eles como a origem da vida, os princípios da evolução e a extinção dos dinossauros. E quando Mika vai embora e os pais voltam com o bebê, e o irmão que passou a experiência da convivência descobre e aceita o irmãozinho melhor do que os pais esperavam.

 

 

 

Literatura Brasileira - Indicados para o Vestibular

 

 

Helena – Machado de Assis

Sinopse: A história de uma moça que, de uma forma inesperada, sobe na escala social: morre o Conselheiro Vale e, no seu testamento, consta que Helena, moça internada num colégio de Botafogo, é sua filha, cujo segredo o conselheiro o mantivera até a morte. Helena passa a viver com Úrsula, irmã do conselheiro, Estácio, agora meio-irmão, Dr. Camargo, amigo de Vale e médico da família, e Eugênia, filha do Dr. Camargo. Helena em face de seu temperamento expansivo e comunicativo, conquista a afeição de D. Úrsula e de Estácio. Mendonça, amigo de Estácio, apaixona-se pela moça. Helena passa a ser objeto de afeição do próprio irmão, que, no entanto, está noivo de Eugênia. O padre Melchior, guia espiritual da família, suspeita dos freqüentes encontros entre Helena e Salvador. O mistério é esclarecido: Salvador é o pai de Helena, que fora arrebatada pelo conselheiro,- encarregando-se de sua educação.

 

 

Gabriela cravo e canela – Jorge Amado

Sinopse:   O romance entre o sírio Nacib e a mulata Gabriela, um dos mais sedutores personagens femininos criados por Jorge Amado, tem como pano de fundo, em meados dos anos 1920, a luta pela modernização de Ilhéus, em desenvolvimento graças às exportações do cacau. Com sua sensualidade inocente, Gabriela não apenas conquista o coração de Nacib como também seduz um sem-número de homens ilheenses, colocando em xeque a lei que exigia que a desonra do adultério feminino fosse lavada com sangue. Publicado em 1958, o livro logo se tornou um sucesso mundial. Na televisão, a história se transformou numa das novelas brasileiras mais aclamadas mundo afora.

 

 

O detetive de Florianópolis – Jair Francisco Hammn

Sinopse:  Afirma Tzvetan Todorov que, nos romances policiais chamados 'puros', a história do crime vem antes. Mais uma vez, esse não é o caso de 'O detetive de Florianópolis', cujos 'crimes' vêm em segundo plano, como pretextos para se contar as aventuras do detetive Domingos Tertuliano Tive. Aliás, nem sempre os crimes existem de fato, muitos são frutos de trotes de um 'amigo' do detetive.

 

 


A hora da estrela – Clarice Lispector

Sinopse:  A história da nordestina Macabéa é contada passo a passo pelo escritor Rodrigo S.M., alter-ego de Clarice Lispector, de um modo que busca permitir aos leitores acompanhar o seu processo de criação. O autor faz o relato da vida triste e sem perspectiva da alagoana Macabéa, pontuada com as informações do 'Você sabia?' da rádio Relógio, sinistro metrônomo a comandar o ritmo de seus últimos dias de vida. Para a cartomante Carlota, a quem Macabéa procura em busca de um sopro de esperança, esses dias derradeiros deveriam ser coroados com o casamento com um estrangeiro rico. Mas, ironicamente, Macabéa termina sob as rodas de um automóvel de luxo Mercedes-Benz.

 

 

Clarissa – Erico Veríssimo

Sinopse:   Escrito em 1933, o primeiro romance de Erico Verissimo trata das descobertas de uma jovem de treze anos que se muda do interior para a capital do Rio Grande do Sul. Otimista e confiante, Clarissa mora em uma pensão familiar, onde convive com personagens que lhe apresentam as contradições da vida. Através do olhar de uma menina, um dos mais consagrados autores brasileiros retrata a Porto Alegre da década de 1930 e, ao mesmo tempo, as convulsões do país e do mundo naquele período.

 

 

Amar, verbo intransitivo – Mário de Andrade

Sinopse:  Mário de Andrade causou escândalo na década de 1920 ao publicar "Amar, verbo intransitivo". O livro conta a história de Elsa, uma governanta alemã contratada por um membro da burguesia industrial paulistana para iniciar sexualmente seu filho adolescente.A partir do momento em que entra na casa dos Souza Costa, Fräulein como todos a chamavam conquista rapidamente a família, mas não se acostuma com a cultura dos novos-ricos brasileiros.A protagonista do romance é um ser humano dividido entre razão e emoção. O lado racional da governanta busca justificativas para a profissão de professora de amor, mas é o lado emocional que a faz se entregar à tarefa: ela alimenta a esperança de voltar para a Alemanha que abandonara depois da Primeira Guerra Mundial e se casar com o homem dos seus sonhos.Classificado pelo autor como “idílio” texto leve sobre o amor , o livro fala da iniciação sexual de um adolescente com ironia, numa narrativa experimental para a época. As cenas são separadas graficamente, como cortes cinematográficos. O narrador é um personagem como todos os outros, alter ego do autor: utiliza metáforas musicais, discorre sobre teorias literárias, faz crítica de arte, numa linguagem que Mário chama de “brasileira”: coloquial, repleta de palavras e expressões do cotidiano de todo o país.Publicado em 1927, "Amar, verbo intransitivo" completou oitenta anos, contrariando o prognóstico do autor de que escrevia algo enraizado numa época, sem chances de interessar ao Brasil do futuro.

 

 


Últimos Sonetos – Cruz e Sousa

Sinopse:  Obra Últimos Sonetos, de Cruz e Sousa, publicados postumamente em 1905, graças ao esforço do amigo Nestor Victor, traduzem a máxima depuração estética atingida pelo poeta e o apaziguamento interior. Em Broquéis (1893), livro que deu início concreto ao simbolismo no Brasil, o poeta não realizou totalmente seu ideal estético devido aos laços com o formalismo parnasiano. Na segunda fase, representada por Faróis (1900), abandonou o esteticismo para cultivar um confissionismo revoltado. Somente na fase final, fixada em Últimos sonetos, realizou o ideal simbolista de exploração do poder pleno da palavra.

 


Switch to your language: